A Livraria das Obras Inéditas


Quando L. não veio.
08/13/2011, 5:20 pm
Filed under: Sem categoria

Quando a gente deixa de esperar, a gente também não sabe aonde ir. Feche os olhos, pense numa estação de trem antiga, inativa. No céu, todo um azul te esperando para fazer sentido. Sua pele responde ao calor do sol com suor. Um parafuso enferrujado no banco, o som do apito de trem silenciado, cães batendo papo, galos desorientados, berros de criança, um rádio, está tudo por ali. Você espera uma fumaça negra anunciar o trem naquela curva. Nada. Só nuvens se movendo muito lentamente lá em cima, bem alto. Chorar? Isso não é opção. Se fazer de coitado? Isso não é opção. Lá está você e a velha estação morrendo devagarzinho enquanto o mundo todo se move e vive ao redor. Um pássaro, de lá para cá, comendo e cagando nas coisas aqui em baixo, não procura opções. Se lhe faltar comida, não pensa em justiça, apenas sente fome. E se for restringido a uma gaiola, ele canta. Não pensa em liberdade… Se abrirem a porta da gaiola ele voa e se vai sabe-se lá para onde.

Anúncios
Comentários Desativados em Quando L. não veio.





Os comentários estão fechados.



%d bloggers like this: