A Livraria das Obras Inéditas


Prefácio da Quaresma
02/26/2012, 4:50 am
Filed under: Crônicas, Guimbas de carnaval

Primeiro fim de semana da quaresma. Madrugada de sábado para domingo. A cidade dorme como se tivesse a alma lavada com água sanitária. Fico pensando que quando os tambores e o barulho das caixas de som ocupam todos os cantos, os grilos e os morcegos vão-se para outro lugar. Onde o carnaval nunca atinge? Que lugar é esse que a realidade nunca descansa? Pergunto e só escuto gri gri gri e o barulho do esgoto que escorre misturado ao córrego que atravessa a cidade. Não falo a língua dos grilos e onde a realidade nunca descansa é um lugar que só pode ser imaginado. Melhor varrer a sala. Encontro um confete, uma mosca morta e um fio dourado.

Diz-se que aqui em terras barrocas se deve esperar com alegria a festa da páscoa com o coração purificado. Mas tem que se alegrar sofrendo ou sofrer por estar alegre. Os sinos tocam lá dentro da gente os repiques dos mesmos irmãos que tocaram os tambores profanos. Eu sei onde o pecado nunca descansa. Daí faz sentido que uma música triste e bonita deixe a gente feliz.

Anúncios
Comentários Desativados em Prefácio da Quaresma





Os comentários estão fechados.



%d bloggers like this: